Um amor correspondido

Image

João vivia em uma cidade pequena e gostava de todos, com exceção de uma idosa chamada Michele. Não sabia explicar o porquê de tanto ódio por ela. Cumprimentava o povoado inteiro e fazia questão de ignorá-la.

Certa vez, estava nadando e de repente, desmaiou. Michele o viu e então, foi de imediato tentar salvá-lo. Sua idade avançada dificultou a tudo e apenas João sobreviveu. Ele ficou abalado! Envergonhou-se por ter sido tão injusto com uma senhora que aceitou morrer no seu lugar.

Sua melancolia não tinha fim, até que um dia encontrou um modo de voltar no tempo. Decidiu conhecê-la quando Michele ainda era jovem e desposá-la. Logo que a viu, impressionou-se com a sua beleza rara. Quem diria, além de ter um coração puro, ainda por cima era bonita por fora.

João não hesitou e foi subitamente em direção da pessoa mais amada por ele. Porém, levou um choque ao deparar-se com a reação dela. Foi duramente discriminado devido a sua classe social e etnia!

A dor do preconceito foi intensa, no entanto a consciência do que a Michele seria no futuro, fez com que João a perdoasse. Era compreensivo com a sua arrogância e desprezo, mas doía vê-la cumprimentando os outros, menos ele.  

Certa vez, a casa de Michele pegou fogo. João a viu, e então, foi de imediato tentar salvá-la. Acabou se queimando e apenas Michele sobreviveu. Ela ficou abalada! Envergonhou-se por ter sido tão injusta com um rapaz que aceitou morrer no seu lugar.

   

Anúncios
Esse post foi publicado em Parábolas da Grande Batata. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s