A pecadora

Image

 

Karina temia o além,pois muitos diziam que ela iria para o inferno.Sua mãe teve complicações durante o seu parto e não resistiu,por isso,sempre se sentiu culpada.Desejava compensar a morte dela, através de uma vida repleta de realizações e atitudes altruístas.Sonhava em ter filhos,ser honrada pelas pessoas e falecer com a consciência limpa,porém nada ocorreu conforme o desejado.Teve que trabalhar desde cedo,angustiou-se intensamente com a miséria,o desemprego e se viu obrigada a se prostituir.

Quando menos esperava estava morta e ao seu redor,havia apenas escuridão.Sofreu ao pensar que estava prestes a ser queimada no fogo eterno,no entanto ela foi transportada para uma mansão.Um homem bem sucedido se despedia,alegremente,da sua família.Em seguida,encontrou-se com uma jornalista encarregada de escrever sua biografia,pois sua vida serviria de inspiração a milhões de pessoas interessadas em obterem resultados semelhantes.Pela primeira vez,decide revelar à mídia,um detalhe polêmico do seu passado:

– …atingi o fundo do poço! Solitário,desempregado e sem perspectiva alguma,decidi me suicidar.Um pouco mais tarde, vislumbrei,de súbito, uma luz que me fez renascer.Era a garota mais linda que havia visto.Perguntei o preço e era exatamente o dinheiro que tinha no bolso.Não esperava que o programa seria tão profundo.Logo depois,consegui um outro trabalho,pois queria vê-la novamente.Mas aos poucos,fui crescendo tanto profissionalmente,que acabei me afastando dessa ideia.Contudo,jamais a esqueci.Graças a ela,estou vivo agora contando a minha história. 

Karina se lembrava dele.Intuiu que precisava de ajuda e conseguiu transmitir a empatia imensa que nutria pelo seu cliente.Também estava sofrendo,naquele dia,e assim,ambos apaziguaram suas dores.Todavia,não esperava que ele se beneficiaria tanto.

A escuridão retornou.De repente,uma voz dócil a chamou…era da sua mãe! Não conseguia a encarar.Sentia-se responsável pelo seu falecimento e não considerava ter tido a vida que justificasse seu sacrifício.Então,ela disse:

–          Filha, por acaso você acredita que não testemunhei quem você realmente é? Pensa que não vislumbrei os sentimentos nobres que já lhe afloraram, suas intenções sinceras de ajudar o próximo, seus instantes de sensibilidade e sua presença significativa no mundo? Você nunca esteve sozinha, apesar dos seus olhos e sua razão lhe afirmarem o contrário. Sinto muito orgulho de ser sua mãe e aceitaria morrer por você,novamente.

Karina ficou imobilizada.Passou horas desfrutando das palavras que acabara de ouvir.Estava tendo a sensação inédita de estar preenchida por completo.Entretanto,não há parcimônia em se tratando de dádivas…

Subitamente, deparou-se com uma folha.Era a última página do diário de um rapaz.Percebeu ser do seu maior amor no qual,infelizmente, experimentou apenas platonicamente. Jamais se sentiu correspondida e entrou em depressão quando soube que lhe informaram quanto a sua decisão de se prostituir. Ansiava por ser admirada por ele, porém tinha a impressão que ele sentia somente indiferença e desprezo. Eis seu conteúdo:

“…estou muito doente e sei que hoje é meu último dia.Não me arrependo de nada que fiz,muito menos do que não fiz.Sempre confiei no meu coração,amei intensamente e realizei tudo o que precisava.Encerro minha autobiografia agradecendo todas pessoas especiais que conheci e até aquelas que tiveram um papel secundário.Felizmente,pude revelar minha gratidão e afeição por todas elas,comunicando-me pessoalmente,com exceção de um milagre…era uma menina que amei tanto que nem consigo traduzir em palavras.Não tive a oportunidade de contar tudo que senti,assim gostaria muito que essa mensagem chegasse até ela. Emocionei-me logo que a vi e mais ainda quando soube que seu nome era Karina.Reparava o quanto ela se esquivava de mim e simplesmente me extasiava ao perceber que sentia o mesmo que eu.Não me conformava com a visão limitada das pessoas que a julgavam por se prostituir.Como é possível ser indiferente à profundidade maravilhosa contida nela?Felizmente,tive discernimento o suficiente para discordar de quem a criticava,e então,sempre fui feliz ao pensar nela…

Karina,espero que leia…lamento não ter dito tudo isso, enquanto a via. Espero passar a eternidade com você. ”

E foi o que,de fato,acabou acontecendo… 

Anúncios
Esse post foi publicado em Parábolas da Grande Batata. Bookmark o link permanente.

4 respostas para A pecadora

  1. Evaristo disse:

    Lindo texto, parabéns!

  2. Shirley Rosa disse:

    Lindo de mais! emocionei…

    • rodolfogatti disse:

      Olá Shirley! Obrigado por ter lido e fico muitooo feliz por você ter escrito que se emocionou…Esse foi justamente o meu maior foco,ao escrever “a pecadora”.

      Mais uma vez,obrigado,abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s